Comércio eletrônico: um panorama atual sobre os e-commerces no Brasil

24/jul/18

Você, como empreendedor, já deve ter se perguntado sobre qual é o real panorama do comércio eletrônico no Brasil, não é mesmo? Afinal de contas, tomar decisões baseadas apenas no ‘achismo’ nunca foi uma boa ideia.

Nesse post, vamos apontar dados e tendências do e-commerce para que você tenha no que se basear e que, com certeza, vão ajudar na hora de direcionar o seu negócio.

Prossiga com a leitura para ter informações mais detalhadas sobre essas questões e que farão a diferença na maneira como você se coloca com o seu empreendimento. Confira!

Como foi o ano de 2017? 

Conforme adiantamos no início desse post, o comércio eletrônico no Brasil tem crescido e amadurecido bastante. As experiências de compra têm sido cada vez melhores e as lojas já sabem o que precisam fazer para atender as expectativas dos clientes.

Segundo dados do Sebrae, os ganhos no e-commerce chegaram à marca dos 100 bilhões de reais em 2017, refletindo um crescimento que já estava sendo previsto desde que o setor começou a despontar na virada da primeira década deste novo século.

O desejo em personalizar a venda ao cliente, atendê-lo de forma rápida, prática e satisfatória, bem como entregar o produto o quanto antes e nas devidas condições, determinam o sucesso das empresas nesse ramo. 

Entra em jogo, também, a questão de desenvolver sites no modo mobile friendly, ou seja, adaptáveis ao acesso por dispositivos móveis; grande ponto para o qual os negócios eletrônicos têm dedicado atenção.

Como está o primeiro semestre de 2018?

Uma pesquisa desenvolvida pela Big Data Corp revelou que já no primeiro semestre de 2018 houve um crescimento de 12,5% no comércio eletrônico. As lojas que oferecem produtos baratos, com tíquete médio abaixo de R$100,00, foram as que mais alavancaram o mercado, indo na contramão do pessimismo do cenário econômico atual.

Todavia, comércios que oferecem um mix de produtos, ou seja, que vendem vários tipos de mercadoria, ganharam força nesse novo cenário, no qual o atendimento deve ser capaz de atender o gosto dos clientes nos mais variados aspectos. 

No próximo tópico, vamos destrinchar para você quais são os desafios em meio a esse panorama.

Quais serão os desafios à frente?

Primeiramente, é preciso entender que as pessoas esperam comodidade quando buscam por uma compra on-line. Isso significa que elas não querem ter que procurar muito para achar o que precisam e nem terem que esperar demais para receber o produto após efetuar o pagamento.

A explicação abaixo condensa os principais desafios e tendências para as empresas que quiserem se destacar e se manter nesse mercado. Veja quais são:

  • entender que ter um site mobile friendly não é mais um diferencial, mas um requisito básico de sobrevivência atual e futura nesse ramo;

  • considerar a possibilidade de criar parcerias com lojas físicas para que o cliente possa retirar o produto pessoalmente de forma rápida;

  • oferecer produtos diversificados, já que as pessoas querem ter facilidade em achar o que precisam quando o assunto são compras on-line;

  • fazer uso da inteligência artificial, como no caso dos chatbots, que encaminham o consumidor para a jornada de compra assertivamente;

  • investir na personalização do trato ao cliente e da própria mercadoria, podendo escolher tamanho, cor e demais atributos de preferência.

Nesse meio, é preciso ter eficiência, agilidade e qualidade no atendimento ao cliente. Investindo nestes pontos diferenciais que citamos acima, você poderá atingi-los com o seu negócio.

Existem perspectivas de crescimento?

Conforme demonstramos ao longo do post, o comércio eletrônico no Brasil tem sido um daqueles ramos que contrariam as estatísticas ruins que a economia do país tem apresentado nos últimos anos.

A previsão é de que haja um crescimento de 15% até o final do ano com um faturamento que ultrapassa os 220 milhões para as lojas com tíquete médio de até R$ 310, conforme pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Quem se preparar para todos os direcionamentos que apresentamos neste post, certamente, poderá colher bons resultados este ano.

Se gostou de conhecer as principais tendências para o comércio eletrônico, assine a nossa newsletter para continuar por dentro do nosso conteúdo!