Gestão de e-commerce: o que é preciso para manter uma loja virtual?

23/abr/18

O e-commerce brasileiro, segundo o 37º relatório Webshoppers, obteve o faturamento de R$ 47,7 bilhões em 2017, o que representa um crescimento de 7,5% em relação ao ano anterior. Apesar do cenário favorável, saiba que somente os negócios que apresentam uma gestão de e-commerce eficiente se destacam em um campo tão competitivo.

Ocorre que é preciso desenvolver uma estratégia condizente com a realidade do mercado e com as necessidades dos consumidores. No post de hoje, vamos apresentar alguns pontos-chave acerca da gestão da loja virtual, aconselhar onde focar, além de oferecer sugestões que facilitam a gestão como um todo. Acompanhe!

1. Entenda a importância de uma gestão eficiente

Antes de tudo, é preciso ter um entendimento de que a gestão permite compreender o negócio, os processos que estão envolvidos e o mercado. Com ela, também é possível identificar as oportunidades do mercado e conhecer o posicionamento em que você se encontra frente à concorrência.

A partir daí, os gestores podem aplicar metodologias, estreitar processos, sanar necessidades do empreendimento, entre outras ações que vão implicar em melhorias nas operações internas e externas.

2. Conheça seu público

Desenvolva métodos de pesquisas para conhecer o público, seus hábitos de consumo e principalmente, saiba do que precisam. Quanto mais assertiva for sua proposta, maior a possibilidade de oferecer os produtos certos, fechar negócios e estreitar a relação com o consumidor.

Considere elaborar pesquisas de satisfação, acompanhar as métricas de marketing e adotar metodologias como NPS (Net Promoter Score) para classificar o cliente conforme sua satisfação. São meios que ajudam a conhecer quem consome seus produtos e estreitar a relação.

Quanto mais próximo você for de seu cliente, melhores são os resultados, pois ele poderá comprar de você novamente e indicar seus produtos para outras pessoas.

3. Elabore um plano financeiro

Mesmo se a ideia que você tem para a gestão parecer incrível, sem direcionamento adequado, ela pode se mostrar inviável. Comece utilizando algum recurso para registrar seu plano financeiro (pode ser em planilhas ou aplicações específicas para esse fim). Os passos seguintes são:

  • determinar quanto pretende ganhar ao longo de períodos que se mostrem mais interessantes para o negócio;
  • determinar os gastos e investimentos que você terá (servidor, plataforma, fornecedores, custos de armazenamento e etc).
  • fazer projeções de vendas em diferentes cenários;
  • mapear ações necessárias para tornar realidade as informações registradas;
  • criar cronograma para colocar em prática as ações;
  • construir um plano de vendas de acordo com faturamento, modelo de precificação, funil de vendas e tudo mais que julgar relevante para sua estratégia;
  • determinar em quais pontos serão realizados seus investimentos futuros;
  • mensurar resultados e documentar as ações para avaliações futuras.

Quanto mais detalhado o planejamento seu plano financeiro for, mais preparado o negócio vai estar para lidar com diferentes cenários e entraves. Os gestores podem se preparar para antecipar imprevistos, calcular riscos, fazer investimentos e até lançar novos produtos com mais segurança.

4. Elabore um plano de marketing

Considerando que você já conhece o perfil de seu público e sabe quanto investir, o passo seguinte é elaborar um plano de marketing baseado nos hábitos de consumo/ acesso. O plano de marketing consiste em transcrever os seguintes pontos:

  • objetivos de comunicação;
  • metas;
  • abordagens/peças que serão veiculadas;
  • canais de comunicação utilizados;
  • cronograma;
  • orçamento disponível.

No plano de marketing, pode-se incluir também o papel dos gestores e dos demais envolvidos. Exemplo: no dia 5 de maio o colaborador X vai produzir um webinar ou dia 6 de maio o colaborador Y vai postar um conteúdo no Facebook.

Vale ressaltar que o plano pode ser flexível, transformando-se conforme as necessidades do empreendimento, as mudanças no mercado e outros fatores que demandam alterações para atingir os objetivos.

5. Considere fazer parcerias

As parcerias ajudam naqueles âmbitos em que os gestores encontram dificuldades. Pode ser o campo logístico, a TI, as vendas, o design, o marketing, entre outros. Uma agência digital, por exemplo, é uma parceria a ser considerada, tendo em vista que ela conta com recursos e experiência para potencializar os resultados e auxiliar nos esforços da gestão de e-commerce. No mais, boas vendas!

Entendeu como uma gestão eficiente é fundamental para a loja virtual? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudá-lo a ampliar suas possibilidades.